martes, 10 de enero de 2012

Rota do Café


Com aroma e sabor de café, a rota turística do norte do Paraná preserva a história e a cultura da região que se desenvolveu alavancada pela produção cafeeira. São 35 atrativos que formam a Rota do Café e o turista pode montar seu próprio roteiro.


Pousada Marabú fica na área rural de Rolândia, a 21 km de Londrina, e oferece almoço vegetariano, café rural a tarde, além de charmosos chalés para hospedagemAriane Ducati/ G1 PR


Almoço vegetariano da Pousada Marabú. Frutas, saladas, vegetais e patês feitos na propriedadeAriane Ducati/ G1 PR


Pratos vegetarianoslevam carne de soja, abobrinha e mandioca, entre outrosAriane Ducati/ G1 PR



Placas indicam caminho para visitantes e hóspedes chegaram a cachoeira que fica dentro da propriedade e ao Chalé Alice, que é alugado para até seis pessoasAriane Ducati/ G1 PR


Na pousada há espaço para fazer piquenique e churrasco à sombra das árvoresAriane Ducati/ G1 PR


Chalé Alice fica há alguns metros da sede da Pousada Marabú. Casa foi originalmente construída em 1938Ariane Ducati/ G1 PR


Entrada do chalé tem rede e mesas para convívio dos hóspedesAriane Ducati/ G1 PR


Quatro no piso superior do chalé tem um cama da casal e três de solteiroAriane Ducati/ G1 PR


Pousada também tem trilha ecológica para os visitantes que gostam de caminhar na mataAriane Ducati/ G1 PR


Museu da Sociedade Rural do Paraná fica dentro do Parque Governador Ney Braga, em Londrina.Espaço é aberto a visitação de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h e dad 14h às 17h30Ariane Ducati/ G1 PR


Museu reúne acervo de 28 mil imagens fotográficas, documentos originais, obejtos e relíquias que contam a história do desenvolvimento do norte paranaenseAriane Ducati/ G1 PR


Placa com frase de político francês está exposta próxima a sacos de caféAriane Ducati/ G1 PR


Objetos foram doados por famílias pioneiras em Londrina e retratam o modo de vida da época dos cafezais Ariane Ducati/ G1 PR


Museu da Sociedade Rural tem linha do tempo da história de Londrina e evolução agrícola da cidade após a geada de 1975 que acabou com os cafezaisAriane Ducati/ G1 PR


Entre construções, o Lago Igapó enfeita a cidade de Londrina. Moradores aproveitam o espaço para praticar esportes, caminhar na pista que contorna o lago e passar momentos de lazer Ariane Ducati/ G1 PR


Cafeteria Armazém O Café faz parte da Rota do Café e oferece a tradicional bebida em diferentes tipos de extração. Além de deliciosos acompanhamentos. A cafeteria fica na Av. Higienópolis, 602, loja 12, em LondrinaAriane Ducati/ G1 PR


Café feito no coador de pano é um dos mais pedidos na cafeteira. Uma xícara de 100 ml custa R$ 4Ariane Ducati/ G1 PR


Bolinho com geléia de laranja é indicado como acompanhamento ideal para um caféAriane Ducati/ G1 PR


Cafés paranaenses estão à venda em cafeteria que faz parte da Rota do CaféAriane Ducati/ G1 PR


Café Palmeira, Nuance e Terrara são todos produzidos em propriedades rurais da região de LondrinaAriane Ducati/ G1 PR


Fazenda Monte Bello fica em Ribeirão Claro, há 187 km de Londrina, e preserva equipamentos de processamento dos grãos de caféAriane Ducati/ G1 PR


Entrada da fazenda Monte Bello e caminho que leva até a sedeAriane Ducati/ G1 PR


Esta casa que faz parte da fazenda Monte Bello é alugada pra pessoas que têm intenção de passar um período mais longo no ambiente ruralAriane Ducati/ G1 PR


No fim de um tour pelas instalações e em parte da área da fazenda, os visitantes são recebidos para um café colonial nesta construção. Antigamente, neste local funcionava uma escola rural para os filhos os trabalhadores dos cafezaisAriane Ducati/ G1 PR


Terreiro onde o café era espalhado e separado para a secagem Ariane Ducati/ G1 PR


Por este trilho, um carrinho transpotava o café colhido até a parte mais baixa da fazenda, onde era secado e depois levado para ser armazenado e processadoAriane Ducati/ G1 PR


Trilha de Mata Atlântica preservada leva até uma figueira centenáriaAriane Ducati/ G1 PR


Figueira no meio da mata da fazenda até mais de 30 metros de altura. Árvore atrai visitantes que ficam encantados com o tamanho das raízes que estão fora da terraAriane Ducati/ G1 PR


Guia da fazenda Monte Bello leva o turista a conhecer a plantação de lichia e ele pode experimentar a fruta direto do pé Ariane Ducati/ G1 PR


A lichia nasce em cachos e para comê-la é necessário destacar a casca vermelha e dura. O sabor da fruta é doce. Por fora, ela lembra um morango. Já no interior, ela é gelatinosa e tem um caroçoAriane Ducati/ G1 PR


Guia da fazenda apresenta os grãos de café ainda no pé e verdes. A colheita é iniciada geralmente no mês de maioAriane Ducati/ G1 PR

Fuente: Globo Paraná 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...