sábado, 31 de agosto de 2013

Drawings Made with Fingerprint Patterns by Nicolas Jolly

In a drawing style reminiscent of the whorl patterns found in van Gogh paintings, artist Nicolas Jolly draws using a kind of crosshatcing that looks like the patterns of fingerprints. The thousands of tiny black ink lines vary in length, direction, and thickness to create landscapes, portraits, and other scenes that seem to be pulsing with energy. You can see many of his drawings close-up in his Fingerprints gallery and several are available as prints over on Society6. (via Behance)









Credits: Colossal 

Portfólio Ricardo Martins: Jalapão, história e cultura

Fotógrafo premiado com o Jabuti 2012 retrata as Unidades de Conservação do estado do Tocantins

por Fábio Paschoal
 
Dunas do Jalapão, Parque Estadual do Jalapão. Foto: Ricardo Martins



De desertos a florestas tropicais. O fotógrafo Ricardo Martins, autor do livro A Riqueza de um Vale (premiado na categoria fotografia no 54° Prêmio Jabuti 2012) percorreu 5 mil quilômetros em 45 dias para documentar quatro unidades de conservação do último estado formado no Brasil. O resultado pode ser encontrado no livro Jalapão, história e cultura – unidades de conservação do estado do Tocantins.
“O projeto original era apenas o Parque Estadual do Jalapão, mas, chegando em Palmas, em minha primeira reunião com os coordenadores do Naturatins (órgão responsável pelas Unidades de Conservação do Tocantins), fui apresentado para outras três unidades, cada uma com uma beleza peculiar”, diz Ricardo. A partir daí a ideia do fotógrafo mudou e ele decidiu registrar outros parques da região.
[Para ver os bichos registrados por Ricardo durante esse trabalho acesse Fotos de animais do Jalapão e outros parques do Tocantins]
A viagem começou em maio de 2012 no Parque Estadual do Lajeado, no município de Palmas. Lá, as cavernas abrigaram povos pré-históricos que deixaram pinturas rupestres nas paredes de pedra há 10 mil anos atrás. O estilo foi adotado pela comunidade local, que produz artesanato com os mesmos temas retratados pelos primeiros habitantes do lugar.
A segunda parada foi no Parque Estadual do Jalapão, na bacia do São Francisco. A região árida, repleta de dunas, é cortada por rios, riachos e ribeirões de água límpida e transparente que garantem a sobrevivência de animais e plantas. A reserva abriga a comunidade Mumbuca, conhecida pelo trabalho artesanal com o capim dourado.
Ricardo foi depois ao Monumento Natural das Árvores Fossilizadas, também chamado de Parque das Árvores Petrificadas, na bacia do Parnaíba. O lugar abrigou uma floresta há milhões de anos. Hoje alguns exemplares fossilizados são testemunhas daquela época.
A última parte da jornada aconteceu no Parque Estadual do Cantão, uma área de Floresta Amazônica situada no centro-oeste do Tocantins. É uma região de convergência de grandes rios – como o Araguaia, o Javaés e o Coco – habitada por tribos das nações indígenas Carajá e Javaé.
O livro foi lançado em 2012 e pode ser comprado pelo site de Ricardo Martins ou nas grandes livrarias do país.

Quatis. Imagem do livro A Riqueza de Um Vale, obra de Ricardo Martins premiada na categoria fotografia no 54° Prêmio Jabuti 2012 - Foto: Ricardo Martins


BIOGRAFIA
Natural de São José dos Campos, Ricardo Martins se formou em jornalismo. Há mais de 10 anos se dedica a fotografia de natureza.
Lançou seu primeiro livro, O Encanto das aves, em 2009. Sua obra seguinte, A Riqueza de um vale, foi premiada na categoria fotografia no 54° Prêmio Jabuti 2012. Jalapão, história e cultura é seu terceiro trabalho publicado.
Ricardo fundou a Fotografia Editoria KONGO e hoje trabalha na produção e execução de seus próprios projetos.

Araçari-banana no primeiro livro de Ricardo Martins: O Encanto das Aves - Foto: Ricardo Martins

jueves, 29 de agosto de 2013

Seguir caminando de Rafa Gómez


Fuente: FotoCommunity

Mesmerizingly Creepy Kaleidoscopic Fingers Filmed by Dave Razor

So I’m not exactly sure what’s going on in this video from designer Dave Razor. Suffice to say there are lots of fingers, bizarre sounds, and generally it’s all a little creepy. And yet I can’t stop watching. (via Jason Sondhi)






Fingered from Dave Razor on Vimeo.

Credits: Colossal 

Explosions in the Sky: Macro Photographs of Fireworks by Nick Pacione

This last 4th of July Dallas-based photographer Nick Pacione camped out below a firework show and captured these awesome shots using a macro lens. He used a special rack focus technique that changes focus during the exposure to create some wonderfully abstract images that at times don’t even look like fireworks. See more from Explosions in the Sky, and if you liked this also check out the work of David Johnson.










Credits: Colossal 

miércoles, 28 de agosto de 2013

Abandoned House overtaken by Animals

Photographe aujourd’hui reconnu et gagnant de nombreux prix, le finlandais Kai Fagerström publie dans le National Geographic une série de photo intitulée Once Upon a Home dans laquelle des animaux prennent possession d’une maison abandonnée. Une série de photos intemporelle à découvrir dans la suite. 













Credits: Fubiz

Ecologia pelo mundo

A Sociedade Ecológica Britânica escolheu os vencedores de sua competição anual de fotografia. O prêmio de 2013 marca os cem anos da sociedade, criada para estimular a pesquisa ecológica.
Os competidores inscreveram imagens de animais, insetos e plantas em várias categorias, como Ecossistemas e Comunidades, Ecologia e Sociedade, Estudantes etc.
As fotos vieram de várias partes do mundo: Bali, Grécia, Chipre e da própria Grã-Bretanha.
Também foram enviadas imagens de devastação, como a foto de Carsten Meyer, mostrando tubarões mortos levados até a costa do Pacífico, no México, a milhares de quilômetros de distância dos principais consumidores de barbatanas de tubarões, na China.

A Sociedade Ecológica Britânica escolheu os vencedores de sua competição anual de fotografia. Acima, a foto de Zoe Davies, a vencedora geral, com a imagem de dois albatrozes nas ilhas Malvinas (Falklands). O prêmio de 2013 marca os cem anos da sociedade, criada para estimular a pesquisa ecológica

Gavin Ballantyne foi o vencedor na categoria Ecossistemas e Comunidades, com a foto de uma aranha em uma flor de rododendro, em Dorset, na Grã-Bretanha.

A foto de Daniel Metcalfe conseguiu destaque na competição. Mostra um tipo de eucalipto com brotos novos, cercado de grama logo depois de incêndio na floresta.

Silviu Petrovan competiu na categoria Ecologia e Sociedade com esta imagem de macacos relaxando na Floresta Sagrada dos Macacos em Ubud, Bali.

Elli Tzirkalli foi o vencedor na categoria Estudantes, com esta imagem da borboleta Apharitis acamas, muito comum no Chipre.

Jacob Bishop enviou uma imagem de uma aranha saltadora atacando uma abelha e conseguiu o segundo lugar na categoria Estudantes.

Anna Carter competiu na categoria Ecologia em Ação com esta imagem de um tuatara. Os movimentos da fêmea deste réptil, perto da área onde fica seu ninho, eram rastreados graças ao carretel de algodão na cauda dela.

Carsten Meyer fez esta imagem de tubarões mortos sem as barbatanas na costa do México, no Pacífico, a milhares de quilômetros de distância dos consumidores de barbatana de tubarão, na China. A imagem venceu na categoria Ecologia e Sociedade.

Hans de Kroon foi premiado por esta imagem do jacinto-das-searas em Lefkas, na Grécia.

martes, 27 de agosto de 2013

La larga sombra de la soledad de Adriana Lissandrini


Fuente: FotoCommunity

Adrift Photography

Le photographe norvégien Oystein Aspelund nous invite à découvrir avec cette récente série « Adrift », son univers composé de clichés en noir et blanc. Il illustre différents états d’esprits, mêlées avec l’utilisation de l’eau sous diverses formes. L’ensemble est disponible en images dans la suite de l’article.











Credits: Fubiz
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...